quarta-feira, 21 de setembro de 2011

"Teu sorriso, teu orgulho"

No caminho para o inglês, vi duas menininhas brincando com umas folhas e revistas que estavam no lixo, sentadas no chão. Seu pai é catador de latinha/papelão e estava um pouco mais atras rasgando umas caixas. As duas meninas brincavam com as revistas, seus olhos brilhavam (mesmo) e o sorriso no rosto das duas era notavelmente lindo. Foi uma cena até meio "normal", minha descrição foi meio idiota mas aquilo me fez ver que a gente nunca dá valor ao que tem. Não digo apenas por coisas materiais, mas por pessoas e conquistas particulares também.
 Não vou nem explicar isso porque você sabe do que estou falando; é tipo você se comparar na natação com o Cielo ou no futebol com o Messi. Enfim, acabei dando dois exemplos.
 Com o tempo a gente aprende a dar valor ao que sente, ao que tem e ao que ganha. Às pessoas que conhece e às paisagens que presenciou. Tô começando a ficar filosófica e ainda tenho louça do almoço pra lavar, melhor parar. Me despeço com um trechinho da música "índios" de legião urbana pra você parar de querer ganhar na loteria e trabalhar dias e noites pra trocar o carro.

 "Quem me dera ao menos uma vez
Provar que quem tem mais do que precisa ter
Quase sempre se convence que não tem o bastante
Fala demais por não ter nada a dizer."



2 comentários:

  1. Eiita,, adorei o post,, sabias palavras , como sempre,, bjoss

    ResponderExcluir
  2. E ainda fechou com chave de ouro,, dá-lhe Legião....

    ResponderExcluir